seu melhor jogo

Você sabia que dá para jogar vôlei sentado? Esse método foi desenvolvido para promover a inclusão de atletas com deficiência, e atualmente já faz parte dos Jogos Paralímpicos. Saiba tudo sobre vôlei sentado e o que o esporte representa.

O vôlei sentado — também conhecido como vôlei paralímpico — é uma adaptação do voleibol convencional para aqueles que têm dificuldades de locomoção. A seguir, você confere como funciona, o objetivo e os fundamentos.

Participe da nossa comunidade gratuita no Whatsapp e receba diariamente dicas, notícias e curiosidades de mais de 50 esportes! Clique aqui para participar.

Como funciona o vôlei sentado?

O vôlei sentado funciona de forma bem parecida com o vôlei tradicional, mas os jogadores competem enquanto estão sentados no chão, o que permite a participação de atletas com diferentes tipos de deficiência física.

O esporte conta com equipes de seis jogadores em cada lado da quadra. As partidas são disputadas em melhor de cinco sets, com algumas adaptações nas regras em relação ao voleibol convencional para acomodar as limitações dos jogadores sentados.

O esporte tem crescido em popularidade desde sua inclusão nos Jogos Paralímpicos e é uma forma significativa de estabelecer a igualdade.

Objetivo do voleibol sentado

O objetivo do voleibol sentado é o mesmo do convencional: marcar pontos mantendo a bola em jogo e fazendo-a tocar o chão no lado adversário da quadra, enquanto se impede que a bola toque o próprio chão.

É um esporte que ajuda a desenvolver habilidades como trabalho em equipe, coordenação, estratégia e superação de desafios.

como funciona o vôlei sentado objetivo do vôlei sentado
O objetivo do vôlei sentado é o mesmo que do esporte tradicional

Fundamentos do voleibol sentado

Os fundamentos do voleibol sentado são bem parecidos com os do esporte tradicional: passe (recepção), levantamento, ataque, bloqueio, defesa e saque. Abaixo, você confere cada um deles de forma mais detalhada:



seu melhor jogo

Passe (recepção)

Os jogadores devem receber a bola adequadamente, utilizando as mãos, os antebraços ou outras partes do corpo para controlar a trajetória da bola e direcioná-la para os companheiros de equipe.

Levantamento

Após o passe, um jogador deve executar o levantamento, que é o gesto de tocar na bola com as mãos de forma controlada para direcioná-la para um atacante.

Ataque

Um jogador (ou vários) realiza o ataque, tentando enviar a bola para o lado adversário da quadra, de modo a marcar pontos.

Bloqueio

Os jogadores podem realizar bloqueios, tentando interceptar os ataques adversários e impedir que a bola ultrapasse a rede.

Defesa

Os jogadores devem defender os ataques adversários, tentando evitar que a bola toque o chão do seu lado da quadra.

Saque

No saque, um jogador golpeia a bola de forma a lançá-la para o lado adversário da quadra.

Tudo sobre vôlei sentado: como surgiu

Mas então como surgiu o vôlei sentado: foi na Holanda, na década de 1950. Originalmente, a ideia era ter a participação de soldados feridos durante a Segunda Guerra Mundial.

Quem inventou o vôlei sentado foi um grupo de médicos e terapeutas que buscavam maneiras de reintegrar esses soldados feridos à sociedade e ajudá-los em atividades físicas.

Então no começo, o vôlei sentado era uma forma de terapia ocupacional, mas logo evoluiu para um esporte competitivo.

Tudo sobre vôlei sentado: modalidades

As modalidades do vôlei sentado são as clássicas:

  • Vôlei sentado masculino
  • Vôlei sentado feminino

As duas principais modalidades do vôlei sentado são disputadas tanto nos Jogos Paralímpicos quanto em competições menores espalhadas pelo mundo. Nos dois casos, as equipes constituem seis jogadores.

Tudo sobre vôlei sentado: quem pode jogar?

Conforme aponta o Comitê Paralímpico Brasileiro, quem pode jogar vôlei sentado é basicamente qualquer pessoa (homem ou mulher) que possua alguma deficiência física ou relacionada à locomoção, ou seja: que afeta a mobilidade, como:

  1. Paraplegia: paralisia parcial ou total das pernas, resultando em dificuldades de movimentação ou incapacidade de movimentar as pernas.
  2. Tetraplegia: paralisia parcial ou total dos membros superiores e inferiores, afetando os braços e as pernas.
  3. Amputações: perda total ou parcial de membros, como pernas, pés, braços ou mãos, que podem afetar a mobilidade dos atletas.
  4. Poliomielite: sequelas de poliomielite que resultam em fraqueza muscular, deformidades ou paralisia parcial.
  5. Lesões medulares: lesões na medula espinhal que causam paralisia parcial ou total dos membros inferiores.
  6. Malformações congênitas: condições congênitas que afetam o desenvolvimento ou a estrutura dos membros, resultando em dificuldades de locomoção.

Tudo sobre vôlei sentado: classes

As classes do vôlei sentado são divididas de acordo com o grau de deficiência. Basicamente, os atletas são divididos em dois grupos: VS1 e VS2.

  • VS1: atletas com deficiências mais severas e que têm maior impacto nas funções essenciais do vôlei sentado, como amputados de perna.
  • VS2: atletas com deficiências mais leves e com menor interferência nas funções em quadra, como amputação de parte do pé

Tudo sobre vôlei sentado: Seleção Brasileira

A Seleção Brasileira de vôlei sentado estreou na disputa dos Jogos Paralímpicos em Pequim 2008, apenas com a equipe masculina, que terminou a competição em sexto lugar naquela ocasião.

Em Londres 2012, o Brasil teve representantes nos dois gêneros, com as Seleções (masculina e feminina) ficando em quinto lugar.

vôlei sentado
vôlei paralímpico
Tudo sobre vôlei sentado, o esporte inclusivo

Quais os títulos da Seleção Brasileira de vôlei sentado?

A primeira conquista da Seleção Brasileira de vôlei sentado foi no Rio 2016, com o bronze pela Seleção feminina. Em Tóquio 2020, veio outro bronze. Já em 2022, a Seleção Brasileira feminina de vôlei sentado foi campeã mundial em Sarajevo, na Bósnia.

Agora que sabe tudo sobre vôlei sentado, que tal continuar por dentro do mundo dos esportes? Não deixe de acompanhar nossos conteúdos:



seu melhor jogo